Vida de grávida - mãe de primeira viagem

Eu queria ter escrito há mais tempo, mas além de ter demorado a me sentir motivada, tive vários problemas com meu computador. Pelo mesmo motivo parei de publicar vídeos. Até gravei um, mas não consegui editar, etc. Enfim, estou de volta e a partir de agora vocês vão entender melhor o meu sumiço.

Hoje faz 22 semanas que estou grávida e pensando nas mudanças que me ocorreram nesses 5 meses, vi que foram muitas. Não vou fazer um diário de gravidez, mas vou tentar resumir como foram esses últimos meses e seguir contando sobre os próximos...

Estar grávida é realmente uma bênção, mas a gente passa por um turbilhão de mudanças físicas e psicológicas, que fazem nem tudo ser tão lindo assim..
Quando descobri  a gravidez, estava com 8 semanas (cerca de 2 meses). Ainda não tinha percebido muita coisa além da falta do ciclo menstrual e o excesso de sono, porém... Parece que foi psicológico (mas não), logo depois que confirmei a gestação, comecei a sentir os malditos enjoos. Sim, digo maldito porque é horrível mesmo. Lembro de reclamar muito e sempre ouvir da minha mãe “mas filha isso é algo tão lindo na tua vida, não fica com raiva..”, impossível D. Maria do Carmo, I M P O S S Í V E L.
Claro que eu estava muito feliz, mas sentir aquele embrulho no estômago e a sensação de vômito constante, não era nada animador. E, essa parte ruim durou até completar umas 13 semanas.

Entrei finalmente no 2ª trimestre. Fiz uma ecografia, vi meu bebê agora mais formadinho e nossa como é angustiante esse momento. A primeira eco lá com 8 semanas, foi assim pela confirmação do embrião, já essa era por saber se estava tudo bem, analisar contagem de cromossomos e descobrir riscos de possíveis doenças.. um tormento essa ansiedade!
Tudo certo e a mamãe aqui ficou 80 toneladas mais leve, ufa! Essa fase indica fim do período de riscos maiores, a vida de grávida fica teoricamente mais simples, mas é só teoricamente... O corpo começa finalmente a mudar. Seios aumentam e no meu caso quadril e coxas também. Não engordei muito, mas minhas curvas se acentuaram. A cintura começa a sumir e uma leve barriguinha surge lá pelo 4ª mês. Definitivamente eu me olhava no espelho e me via grávida (essa é a melhor parte dessa fase depois das ecografias).

Nesse período notei que meu excesso de sono parou. Voltei a dormir normalmente ou não, pois eu nunca fui de ter muito sono. Não durmo muito, mas me sinto cansada com maior facilidade. Parece que qualquer pouco que faça, me deixa mais mole do que antes. Com isso vem a preguiça. Ahh a preguiça! Essa me acompanha muito. Estar grávida tem me deixado bem mais preguiçosa do que antes, só que agora tenho uma desculpa hahaha. Além da preguiça, tem também a fome. Comecei a sentir uma fome muito maior. Evitava ficar muitas horas sem comer há muitos anos, mas agora parece que isso não era só um estilo de vida e sim uma necessidade. Parece mentira, mas em média 2h ou 3h depois que comia, já sentia fome denovo. É nesse momento que a gente tem que se controlar pra não abusar. Passei a consumir mais frutas secas e frescas, comer coisas mais leves e beber bastante água. Para essa fome de todo instante, é muito bom consumir alimentos práticos mas não muito calóricos. Inibem a fome e alimentam. Além de uma alimentação equilibrada nas principais refeições.

E agora já passamos de 20 semanas, 5º mês e a nova fase delícia da gravidez vem a tona. Comecei a sentir uns movimentos estranhos na barriga. Descrevendo bem, a sensação é muito parecida como a de quando estamos com muitos gases. Ok, podem rir, mas é bem isso. Nas primeiras vezes fica mais difícil identificar, mas aos poucos fui percebendo que eram os movimentos do meu bebê e nossa isso é muito bom. Quase sempre acabo rindo quando sinto ou fico com cara de boba. Descobri que não dói e nem faz cócegas, mas é uma sensação bem divertida. Aos poucos ela fica mais frequente e melhor de identificar, até chegar o momento de sentir fora da barriga também. Me emociona lembrar do primeiro momento que meu marido sentiu nosso bebê mexendo... Ele levou um susto misturado com emoção. Ficamos rindo e com os olhos cheios de lágrimas, é surreal!

Agora nessa fase a bolotinha que apareceu na barriga, já esta bem maior e estou mesmo com aparência de grávida. Além dos seios e o corpo mais redondo, minha barriga já está bem aparente. Com isso esclareci mais uma duvida que eu sempre tive “dói sentir a barriga crescer?”. Não, não dói exatamente. Até o momento não senti nenhuma dor especifica da barriga crescendo, mas a gente sente uma pressão no útero. Desde o início, sentia uma cólica bem fraquinha que as vezes me assustava. Até que o médico explicou que isso era a musculatura do meu útero se expandindo para acomodar meu bebê. Em alguns momentos essa dorzinha vinha mais forte, mas nada impossível de aguentar e também não durava muito tempo. Fora isso, nenhum desconforto maior neste fator.


O que sinto hoje, é uma dificuldade em me acomodar para dormir. Sinto meu corpo mais pesado, seios, barriga... Pra mim que era magra e com seios muito pequenos, ter um volume no abdome e no peito é muito novo. Aos poucos estou me adaptando. Como leio muito e tento me informar o máximo, descobri que a melhor posição é virar para o lado esquerdo e isso ajuda bastante. No mais, é só alegria. Sinto meu Theo mexendo várias vezes no dia, minha fome já está mais controlada e outra parte gostosa dessa fase é montar o enxoval, quartinho... Que venham os próximos 4 meses!


0 comentários